Diploma técnico ou certificado profissionalizante? O que é mais importante?

6 minutos para ler

Quer construir uma carreira, mas não sabe qual se especializar? Essa é uma dúvida bastante comum entre os profissionais. Em geral, a escolha gira em torno de conquistar um diploma técnico ou certificado profissionalizante. Afinal, qual é melhor?

O fato é que a exigência de escolaridade ainda é muito presente entre os contratantes, apesar de a experiência também ser um aspecto que deve ser levado em consideração. Por isso, neste artigo vamos abordar os principais pontos sobre o que é mais importante na hora de conseguir um bom emprego: a formação acadêmica ou a experiência.

Interessado? Então, acompanhe a leitura e tire suas dúvidas!

O que define o diploma técnico?

A formação técnica corresponde à conclusão de um curso técnico, com a duração aproximada de 2 a 3 anos. Sua carga horária de ensino é superior à do curso profissionalizante, e os conteúdos ministrados pelos professores são mais amplos, completos e aprofundados. Seu grau de escolaridade, ainda assim, é considerado como nível médio.

Aqui, o foco do aprendizado é a prática, ainda que alguns assuntos sejam tratados de modo teórico. Quem deseja se matricular nesse tipo de curso precisa estar no ensino médio ou já tê-lo concluído. Inclusive, é comum que alunos estudem o curso técnico de forma paralela ao ensino médio regular — um pela manhã e outro pela tarde, por exemplo.

Para que possa ministrar um curso técnico, a instituição de ensino precisa receber a autorização do MEC, por meio da gestão do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Serão analisados vários aspectos, como qualidade do ensino, infraestrutura do local, grade curricular, formação dos professores etc. Só depois desse aval a entidade de ensino poderá emitir certificados de conclusão. Atualmente, existem cerca de 230 cursos técnicos autorizados a funcionar.

Enfim, após a conclusão do curso, o recém-formado recebe o diploma. Trata-se de um documento oficial, que também precisa ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), atesta a regularidade e validade dessa formação. A partir daí, o profissional está devidamente autorizado e habilitado a exercer a sua atividade técnica em todo o país!

É importante mencionar que esse diploma confere a formação profissional técnica equivalente ao ensino médio. Também pode, no entanto, representar uma especialização em determinadas áreas, por meio de cursos de pós-graduação (stricto ou latu sensu).

O que é um certificado profissionalizante?

O curso profissionalizante costuma ter uma curta duração — geralmente, de um semestre ou 1 ano — e é destinado a quem deseja obter atualização ou conhecimentos específicos em uma determinada área. Na prática, é uma forma de entrar rapidamente no mercado de trabalho.

Existem muitos cursos desse tipo disponíveis hoje pelo país. O objetivo, de modo geral, é preparar o aluno para desempenhar tarefas já básicas e específicas em diversas áreas, como indústria, comércio, agronegócio, serviços etc. Até por conta disso, eles não exigem uma grande quantidade de pré-requisitos. Podem ser feitos tanto por estudantes que desejam aprender uma nova competência quanto por profissionais que já atuam no mercado, mas querem mudar de área ou precisam aperfeiçoar conhecimentos e aprimorar seu currículo.

Também vale dizer que o curso profissionalizante pode ser oferecido de maneira livre, sem a necessidade de aprovação do Ministério da Educação. É por isso, aliás, que esse tipo de formação não está autorizado a emitir diplomas de conclusão de curso contendo o selo do MEC. O aluno que a conclui recebe, em vez disso, um Certificado de Conclusão Profissional.

Emitido pela própria instituição de ensino, esse documento comprova a participação em cursos de curta duração, eventos, cursos livres, congressos e outros eventos. Ele contém menos formalidades que um diploma, já que não há a necessidade de tanta regulamentação, mas pode registrar a carga horária de uma atividade e até ser usado para abater horas de atividade complementar em cursos de graduação.

Qual é a importância da experiência?

A base da grade programática de cursos técnicos e faculdades é a teoria. A maioria das aulas é ministrada dentro de salas de aula, abordando assuntos conceituais e hipotéticos. Trata-se de um aprendizado de grande relevância para o aprendizado, de fato, mas nem sempre é suficiente para o estudante conseguir alavancar a sua carreira profissional.

Isso porque, ao se ater apenas ao lado teórico da sua área, o estudante ainda não adquire uma boa experiência para atuar no mercado de trabalho depois. Não é à toa que muitos costumam sair das escolas técnicas e universidades sem a preparação necessária para atuar na área — e, infelizmente, acabam deixados de lado.

Diante disso, diversas empresas priorizam a experiência do profissional em vez da formação acadêmica. Essa situação é bastante comum na área de Tecnologia da Informação, por exemplo, um setor que está em plena expansão no mercado.

A maioria dos recrutadores, hoje, procura candidatos que apresentem um conhecimento prático sobre as tarefas que serão abordadas no dia a dia. É justamente por isso que é importante obter certificações que demonstrem certa vivência na sua área.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Afinal, curso técnico ou certificado profissionalizante?

Se o mercado já está concorrido para quem tem experiência e formação acadêmica, imagine para quem não tem! Por isso, antes de se decidir por um curso técnico ou um profissionalizante, é importante levar em consideração o cenário atual e as necessidades específicas da sua área. Ambas as formações costumam ser mais compactas e ter aulas práticas, possibilitando a inserção mais rápida do profissional no mercado.

Na hora de buscar um emprego ou uma promoção, a teoria e a prática se complementam. Como vimos, porém, a experiência do profissional acaba ficando em evidência, sendo até o diferencial necessário para o seu crescimento. Mas essa experiência precisa de devida comprovação — e, nesse sentido, os certificados são a melhor alternativa para se destacar.

Em outras palavras, você nunca perde tempo estudando ou ganhando experiência no seu ramo de atuação. Trata-se de um verdadeiro investimento. Afinal, tudo o que você agregar à sua carreira profissional será importante. Então, antes de escolher entre um diploma técnico ou certificado profissionalizante, esteja certo das características de cada tipo de formação. Planeje-se e busque gerenciar o tipo de formação que você pretende seguir!

E aí, entendeu a diferença entre ambas as certificações? Agora, se quiser saber ainda mais sobre o assunto, aproveite para curtir a página do IBQP no Facebook e confira as próximas publicações em primeira mão!

Posts relacionados

Deixe um comentário